Revista Digital
Edições digitais de
Suinocultura Industrial
Deste a edição 239, a revista mais completa destinada à suinocultura do setor apresenta sua versão digital.

Informações completas do setor suinícola que podem ser visualizadas através de celulares, smartphones, tablets e computadores em qualquer parte do mundo.
E-mail:
Senha:
Esqueci minha senha

Notícias

Tamanho da FonteDiminuir FonteAumentar Fonte
 

Rio Grande do Sul erradica doença de Aujeszky

Quinta-feira, 03 de Junho de 2004, 07:04:00Saúde Animal

Redação SI 03/06/2004 - 06h27 - A região do Alto Uruguai retomará o mercado exportador de carne suína para Rússia no fim do ano. A informação é do delegado federal do Mapa no RS, Francisco Signor, ao anunciar ontem, em Porto Alegre, o balanço da erradicação da doença de Aujeszky no Estado.

Conforme o chefe de Divisão de Fiscalização e Defesa Sanitária Animal da SAA, Nilton Rossato, as normas da Rússia pedem prazo de um ano passado o diagnóstico da doença para reiniciar as importações. E de acordo com o coordenador do programa de sanidade suína da Defesa Sanitária do DPA/SAA, Pedro Stoll, o prazo da retomada para os quatro municípios envolvidos na Operação Aratiba - São Valentin, Ponte Preta, Aratiba e Erechim - é o dia 15 de dezembro. Pinheirinho do Vale, o primeiro a ter foco descoberto em 2003, já está apto a vender para frigoríficos exportadores.

A responsável pelo programa nacional de sanidade suína do Mapa/RS, Ana Lúcia Stepan, concluiu que provavelmente o foco de Aujeszky tenha entrado no estado em 2003 de algum material contaminado oriundo de SC. "Pode ser originário do município de Itapiranga (SC), que é vizinho de Pinheirinho do Vale, o primeiro município do RS a ter foco." A pesquisadora disse que em maio a SAA fez coleta sangue de alguns animais em propriedades de risco e todos os resultados deram negativo.

Conforme levantamento da operação, de janeiro a dezembro de 2003 foram coletadas 11.906 amostras de 764 propriedades. O número de abates chegou a 27.872 suínos, entre sacrifício e abate sanitários, de 67 propriedades. A indenização de R$ 1.842.373,09 foi paga a 67 produtores pelo Fesa. "O Estado está nos ressarcindo, mas o Fundo da Peste Suína, da Acsurs e do Sips, foi de extrema importância para agilizar a indenização."

Fonte:  Correio Do Povo
Voltar